comment 0

#MeuCantonaCidade tem luz

Na etimologia da palavra, fotografia significa desenhar com a luz. O conceito foi explorado de diversas maneiras na mostra fotográfica #MeuCantoNaCidade. A brincadeira com o jogo de sombra e luz extrapolou as imagens em si, envolvendo o suporte onde as mesmas estão exibidas. A estética criada para a exposição impressionou quem adentrava o salão no térreo do INCITI/UFPE, na noite desta quarta-feira (8), durante o lançamento da mostra.

Antes mesmo das 19h, horário marcado para abrir as portas da exposição, as pessoas já começavam a chegar para conferir as 30 imagens selecionadas através da campanha #MeuCantoNaCidade, que convidou o público a fotografar aquilo que o encanta no espaço urbano. Durante mais de um mês, mais de 400 imagens participaram da chamada, postando no Instagram imagens que revelaram narrativas, afetos e paisagens dos lugares por onde passaram. A exposição, assim como a campanha, é uma realização do INCITI/UFPE, em parceria com o projeto Dajaneladomeuonibus.

Para a exposição, as imagens selecionadas foram montadas em caixas de luz que centralizam a atenção do espectador e iluminam o objeto fotografado, possibilitando ainda que o público interaja com a obra. O projeto expográfico, concebido por Alex Campello e Amanda Florêncio, ambos pesquisadores do INCITI, buscou protagonizar o papel da luz em torno das fotografias, além de respeitar o espaço versátil do grupo de pesquisa da UFPE, que sempre recebe debates, reuniões e eventos. “Procuramos envolver as imagens de uma maneira que permitisse que as pessoas manuseassem as fotografias, uma forma de expressar carinho pela cidade, pelo objeto fotografado, por meio do contato físico. Você traz o objeto para si”, conta Alex.

Vital Carvalho fotografou uma fachada com azulejos portugueses, cenário que está escasseando com a verticalização da cidade.

Morador das Graças, Vital Carvalho, 58 anos, teve duas imagens selecionadas para a exposição e estava contente com o resultado. “Achei ótima essa forma de a gente mostrar o amor que temos pela cidade, de registrar patrimônios que fazem parte da nossa história e o que temos de belo, até em lugares inusitados”, falou. Já Natália Regina, moradora da Macaxeira, 24 anos, teve uma foto integrando a mostra e conversava instigada sobre o sentido coletivo desses olhares sobre a cidade. “O que é meu, não é nosso, é egoísta. O meu canto na cidade na verdade é o nosso canto na cidade, o que juntos cultivamos. Hoje foi muito interessante perceber essa energia que estamos colocando pra lutar por um futuro melhor pra todos”, disse.

A diretora do INCITI, Circe Monteiro, falou sobre a motivação para a realização da iniciativa. “Temos esse desafio e oportunidade de coordenarmos um projeto de transformação da cidade, que é o Parque Capibaribe. Você não muda a cidade com um projeto se você não mudar o olhar das pessoas para a cidade. Então essa campanha mostrou pra gente a água, o rio, o mar, são elementos que estão no coração das pessoas, que fazem parte da vida da cidade. Nossa esperança é que cada vez mais os espaços públicos que estamos construindo possam criar outros cantos na cidade, onde a gente possa encontrar, beleza, descanso e satisfação”, considerou, satisfeita, a gestora. Para a designer Bela Faria, responsável pelo Dajaneladomeuonibus, o projeto #MeuCantoNaCidade foi muito bem sucedido. “As imagens são incríveis. A gente consegue ver essa afetividade que as pessoas têm com cada canto, o que é especial para si”, falou.

Além de conferirem as fotografias selecionadas, quem visitou a abertura da exposição assistiu em primeira mão o novo vídeo do Parque Capibaribe, que mostra o processo de participação social que tem sido estabelecido na implementação do projeto.

Mostra também teve lançamento do novo vídeo do Parque Capibaribe.

A exposição #MeuCantoNaCidade fica aberta para visitação de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 20h, até o dia 23 de fevereiro, quando tem uma pausa para o carnaval. As portas serão abertas ao público novamente a partir do dia 2 de março e seguem até o dia 10. A entrada é franca. Para mais informações: (81) 3037-6689.

comment 0

INCITI/UFPE participa de seminário internacional sobre paisagismo

O INCITI/UFPE  marcará presença no II Seminário Internacional “Paisagem e Jardim como Patrimônio Cultural México/Brasil”, que acontece de 16 a 24 março de 2017, no Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da UFPE (Recife) e no Espaço Ciência (Olinda). Quem representará o grupo de pesquisa é um dos coordenadores do projeto Parque Capibaribe, o arquiteto e paisagista Luiz Vieira. O pesquisador apresentará o trabalho “Da memória das águas do Parque Capibaribe à Cidade-Parque”. Inscrições no site.

O seminário reunirá a Universidad Autónoma Metropolitana do México e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e foi realizado pela primeira vez na cidade do México, em 2015. O objetivo do encontro é discutir princípios e diretrizes de intervenção para a conservação da Paisagem e do Jardim e, com isso, fortalecer os estudos no campo da preservação cultural, envolvendo teoria e prática de projeto.

O seminário tem como parceiro na realização o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU/PE) e é dirigido para projetistas, planejadores, pesquisadores; alunos de arquitetura e urbanismo, das artes, da história, da geografia, da arqueologia, das ciências naturais e técnicos do governo municipal, estadual e federal.

++

Programação

Professores e pesquisadores da Universidad Autónoma Metropolitana (México)

Teresita Queiroz Ávila

Fuentes para el rescate del paisaje en el México posrevolucionario: literatura y cartografía (Azuela y Edwards).

Salvador Aceves

CAMPECHE, Patrimonio y Paisaje. La Recuperación de la Ciudad Amurallada.

Armando Alonso

Ernesto P. Uruchurtu y su ideario político para la modernización de la ciudad de México, 1952-1966.

Saúl Alcántara Onofre

Hacia la Actualización de la lista Indicativa del Patrimonio Mundial (UNESCO) de Brasil. La obra paisajística de Burle Marx.

Tere Ocejo

Recuperación del Paisaje Cultural Relicto y Puesta en Valor de Cacaxtla-Xochitécatl y su entorno inmediato

Félix Alfonso Martínez

Reflexiones sobre la restauración de jardines con valor histórico-artístico en México.

Professores e pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco

Aline de Figueirôa Silva

A vegetação como elemento de composição paisagística no Brasil (século XIX e início do XX).

Ana Rita Sá Carneiro

Os caminhos para o tombamento dos Jardins de Burle Marx: um patrimônio brasileiro.

Lúcia Veras e Onilda Bezerra

Jardins de Burle Marx no Recife: entre a proteção e o desafio da gestão.

Luiz Vieira

Da memória das águas no Parque Capibaribe à Cidade-Parque.

Marccus Alves e Joelmir Marques

Os domínios ecológicos brasileiros nos Jardins de Burle Marx.

Roberto Araújo

Santa Tereza: o espírito do lugar.

++

Serviço

II Seminário Internacional “Paisagem e Jardim como Patrimônio Cultural México/Brasil”

Quando? 16 a 24 março de 2017

Onde? Centro de Ciências Sociais Aplicadas (CCSA) da UFPE (Av. dos Economistas, s/n, Cidade Universitária – Recife) e Espaço Ciência (Complexo de Salgadinho -Olinda | Parque Memorial Arcoverde)

Inscrições no site

Featured Video Play Icon

Workshop Internacional de Prototipagem Urbana (WIPU)

As duas semanas de trabalho do Workshop Internacional de Prototipagem Urbana (WIPU) – ação integrada entre o INCITI/UFPE e a UNINASSAU – que aconteceram entre os dias 10 e 21 de outubro, congregaram forças de trabalho de diferentes origens para dar uma nova face a uma região praticamente esquecida das margens do Rio Capibaribe.

O WIPU foi a culminância de um processo que se desencadeou desde o primeiro semestre de 2016, com o início do projeto Ativação Capunga, ramificação do Parque Capibaribe, cujo objetivo é reativar e agregar a população para esse trecho da cidade.

comment 0

Parque Capibaribe abraça o bairro das Graças

Por Flora Noberto

O Parque Capibaribe está prestes a ser implantado no bairro das Graças. Depois da abertura do Jardim do Baobá, ainda em fase de experimentação, serão iniciadas as obras da segunda fase do Parque, ao longo de 950 metros na margem esquerda do rio, entre as pontes da Torre e da Capunga. O lançamento do edital de licitação foi feito pela Prefeitura do Recife em dezembro de 2016 e publicado no site da gestão municipal no último dia 25, no Diário Oficial do município.
Read More

comment 0

Exposição apresenta Olhares Afetivos

“Imagens formadas por afetos”, esta é a chamada de abertura da exposição #MeuCantoNaCidade, que será inaugurada no dia 8 de fevereiro, às 19h, na sede do INCITI/UFPE, no Bairro do Recife (PE).

A mostra reúne 30 fotografias de 26 habitantes da Região Metropolitana do Recife.As imagens foram selecionadas por meio da campanha #MeuCantoNaCidade, realizada pelo INCITI, em parceria com o projeto Dajaneladomeuonibus, na plataforma Instagram, que convidou as pessoas a fotografarem aquilo que as encantava nesta experiência que é viver nas cidades.

As imagens foram escolhidas a partir de dois critérios: as 10 fotos mais curtidas pelo público e outras 20 fotografias, selecionadas pelos curadores Gabriel Melo, Ivan Ferreira e Valéria Gomes do Coletivo Bolandeira e Casa Candeeiro, que consideraram a qualidade, a originalidade e a singularidade das fotos. A campanha #MeuCantoNaCidade aconteceu entre 02 de setembro e 28 de outubro de 2016, e teve mais de 400 fotos participantes.

As fotografias selecionadas estarão no térreo da sede do INCITI, em uma exposição interativa entre público e imagens. Após o lançamento, o horário de visitação será de segunda a sexta-feira, das 14h30 às 20h, de 8 a 23 de fevereiro, dando uma pausa por conta do carnaval e retornando no período de 2 a 10 de março.

Mais Curtidas – Júri Popular

  1. Eveline Alves
  2. Gilberto Vieira
  3. Joelma Trajano
  4. Luka Almeida
  5. Mariana Montenegro
  6. Milena Maia
  7. Pedro Guedes
  8. Vital Carvalho
  9. Zeno Albuquerque

Selecionados pela Curadoria

  1. Abraão Figueiredo
  2. Aline Nascimento
  3. Bulu
  4. Eduardo Nóbrega
  5. Eveline Alves
  6. Gilberto Vieira
  7. Héllyda Cavalcanti
  8. Ju Brainer
  9. Kari Galvão
  10. Katianne Diniz
  11. Leila Azevedo
  12. Mariana Azevedo
  13. Nanda Botelho
  14. Natália Regina
  15. Renata Gamelo
  16. Rodrigo Édipo
  17. Simone Brito
  18. Victor Cayke
  19. Vital Carvalho
  20. Ytallo Barreto

Serviço:

#MeuCantoNaCidade

Local: INCITI/UFPE – Rua do Bom Jesus, 191, Bairro do Recife – Recife/PE

Data: 8 a 23 de fevereiro e 2 a 10 de março

Horário: 14h30 às 20h

Contato: (81) 3037-6689

Email: info@inciti.org

comment 0

Rios e redes: uma realidade que não é só do Recife

Num domingo dedicado ao lazer em Quito, no Equador, Ismael e Juan, 10 e 12 anos, sentaram distraídos sob a sombra do guarda-sol, nas cadeiras de praia coloridas dispostas próximas ao laguinho do Parque La Alameda. Os meninos percorrem, todos os domingos, um trajeto de uma hora até o sítio, onde desfrutam do tempo livre e nada sabiam sobre a atividade realizada pelo INCITI/UFPE naquele local. Cheguei junto pra falar que estávamos promovendo uma praia no intuito de chamar atenção para o cuidado com os rios urbanos e após uma breve conversa perguntei sobre o Machángara, principal curso d’água de Quito. “Es muy puerca”, foi a resposta imediata, assimilando o rio ao mamífero que carrega consigo a fama de sujismundo. A poluição do principal rio da cidade não os permite aproveitar a água, mas depois de alguma confabulação a mais sobre o futuro, eles disseram que gostariam de nadar nesse importante curso d’água, se ele fosse limpo.

 

Um papo com Ismael e Juan

A gente quer nadar no Capibaribe e parece que muitos também desejam usufruir de suas águas fluviais. A contaminação do rio por dejetos domésticos e industriais não é uma exclusividade da realidade recifense, mas a consciência para a preservação e a participação popular são ferramentas eficientes para a transformação das nossas cidades e das quais todos podem se beneficiar. Foi com isso em mente que fizemos esse circuito equatoriano apresentando a metodologia de ativação dos espaços públicos que tem sido utilizada no projeto Parque Capibaribe, no Recife, em parceria com as Praias do Capibaribe.

Entre os dias 15 e 20 de outubro o INCITI/UFPE – representado pelos diretores Circe Gama Monteiro e Roberto Montezuma, e pelos pesquisadores Amanda Florêncio, André Moraes de Almeida e Maíra Brandão – participou da Habitat III – Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Sustentável, que reuniu cerca de 30 mil pessoas na capital do Equador, no intuito de promover encontros, debates e incentivar o comprometimento destes milhares de agentes na implementação da Nova Agenda Urbana, documento elaborado ao longo dos últimos dois anos, no intuito de guiar o desenvolvimento urbano sustentável durante as próximas duas décadas.

Equipe INCITI na Habitat: Amanda Florêncio, André Moraes de Almeida, Maíra Brandão, Roberto Montezuma e Circe Gama Monteiro.

Além de todo esse papel de discussão e articulação, o INCITI participou do evento com a ativação “I want to swim in my river – Machángara Beach” (em tradução livre: Eu quero nadar no meu rio – Praia do Machángara). Em 60 anos desde a primeira edição da Habitat, realizada em 1976, esta foi a primeira vez que a Conferência abriu espaço para soluções e intervenções urbanas serem realizadas paralelamente às mesas redondas, negociações e palestras. Aliás, segundo a ONU-Habitat, este foi notadamente o evento com maior participação da sociedade civil e de gestores municipais, desde que tiveram início as discussões sobre o desenvolvimento das cidades, por meio das Nações Unidas.

Ainda no avião, conheci Kenneth Smith, urbanista da Universidade de Wisconsin, nos Estados Unidos, com quem tive a primeira de uma série de conversas sobre a atividade que nos levava a Quito. Ele contou que o principal rio do seu estado também sofria com a degradação ambiental. “É triste que isso esteja acontecendo em vários lugares do mundo, mas ainda bem que tem gente como a gente pensando e se juntando pra tentar reverter essa situação”, disse, otimista.

Um vez que o rio Machángara ficava longe da Casa de la Cultura Ecuatoriana, epicentro da Habitat, fizemos a primeira praia no Parque La Alameda, que ficava a cerca de 10 minutos do evento. Foi lá que conhecemos Ismael e Juan, no domingo, 16 de outubro. Era um parque popular, onde os equatorianos curtem o domingo e foi para eles que apresentamos a nossa proposta, num dia super proveitoso. Só foi uma pena que caiu um temporal no meio da tarde e tivemos de recolher a Praia do Machángara mais cedo do que o previsto. Mas teríamos um segundo dia de atividades na quarta-feira (19), e a previsão do tempo estava a nosso favor.

Um dia de Praia no Parque La Alameda.

Como a ideia era apresentar a praia para os participantes da Habitat e no primeiro dia de intervenção tivemos poucos visitantes, avaliamos que poderíamos explorar melhor esse público se fôssemos mais pra perto da Casa de la Cultura. Assim, negociamos com a produção da Conferência e levamos o segundo dia de Praia para o Parque El Ejido, colado com a Habitat.

O palpite foi certo sobre mudar a intervenção de lugar. Da manhã até a noite, passaram por lá pessoas de vários países interessadas nos processos de recuperação dos rios urbanos com participação popular: Chile, Uruguai, Equador, Brasil, Alemanha, e mais. Logo na chegada conhecemos Max, um anjo que nos ajudou a montar a praia no novo local. Ele estava à nossa procura, a fim de promover o intercâmbio entre as praias, uma vez que promove uma iniciativa similar em Montreal, no Canadá, ao longo dos cinco meses de verão que têm por lá. Apaixonou-se pelo colorido das chitas e ficou interessado na forma como temos pensado a margem do rio como ponto de encontro, reflexão e também de tensão entre interesses econômicos e sociais tão evidentes nas diferenças entre as habitações das margens direita e esquerda do rio Capibaribe.

Uma praia no meio da capital do Equador. Desta vez no Parque El Ejido.

Foram praias bem distintas, de público e de participação, mas foi muito bacana a experiência de demonstrar um pouquinho do que temos feito pelo Recife, alhures, além de nos conectarmos com pessoas e iniciativas de outros lugares do planeta, que fazem ou desejam desempenhar um papel similar ao que o INCITI/UFPE tem se proposto. Muitos contatos, muitos aprendizados.

UTCs – Circe Gama Monteiro, coordenadora do INCITI, participou da mesa “O Papel dos Urban Thinkers Campus na implementação da Nova Agenda Urbana”, no dia 17 de outubro. Os principais pontos ressaltados pela pesquisadora sobre a edição brasileira do UTC foram a transdisciplinaridade e a horizontalidade na construção de conteúdo e de diretrizes para a cidade que precisamos. “Nós seguimos a receita da ONU-Habitat pro UTC, mas cozinhamos de uma maneira diferente. Os participantes do Urban Thinkers Campus não queriam falar em grupos somente deles para eles mesmos. Gestores com gestores, mulheres com mulheres, jovens com jovens. Então formaram-se grupos maiores e diversos pra construir as recomendações que contribuíram com a Nova Agenda Urbana”, contou.

Circe Gama Monteiro, na mesa sobre o papel dos Urban Thinkers Campus

Monteiro também falou a respeito da importância da comunicação como essencial no processo de construção de diálogo entre as realidades diversas em uma cidade e na construção do imaginário coletivo. “Um dos grandes desafios que temos que enfrentar é o controle dos meios de comunicação por políticos, por poderosos. Através da comunicação a gente desenvolve consciência, senso crítico, e aí podemos estruturar a aplicação de toda essa força que vem com a união dos diversos agentes pensando em cidades melhores para as pessoas”, falou a coordenadora.

Falando em comunicação, na mesa Urban Journalism Academy, o repórter do Citiscope, Greg Scruggs, citou o UTC Recife, como o tipo de história que move o trabalho dos jornalistas que escrevem sobre processos de urbanização. “Quando vários ativistas pelo direito à cidade se juntam, fecham uma rua, lutam por questões locais e fazem grandes festas para celebrar suas conquistas, como aconteceu no Urban Thinkers Campus Recife, isso nos motiva”, disse. Foi a cereja do bolo.

Habitat III e a Nova Agenda Urbana – As grandes discussões que aconteceram antes e durante a Habitat III são apenas o começo do futuro que está por vir. Mas uma das coisas mais evidentes de todas as conversas que participei foi a importância do papel das universidades, das organizações não governamentais e da sociedade civil no processo do desenvolvimento urbano sustentável, assim como da necessária união entre os diferentes representantes dos setores público, privado e da academia. “Não dá pra fazer nada disso sozinho” e “It’s all about people”, repetiram em várias mesas, quase um mantra. E só me vinha à memória o saudoso Daniel Pádua, que sempre dizia “tecnologia é mato, o que importa são as pessoas”. O dito pode ser adequado a qualquer realidade. O que importa são as pessoas.

Mais fotos no www.flickr.com/inciti.

O que importa são as pessoas. ?

comment 0

Derby se transforma em Parque

A partir do urbanismo emergente, área nas margens do rio, recebem protótipos de mobiliário, sinalização e iluminação criados em workshop por urbanistas, designers, artistas e estudantes.

Área no bairro do Derby, conhecida como Capunga, começa a ser transformada em parque às margens do Rio Capibaribe. Após a realização do Workshop Internacional de Prototipagem Urbana, o local conta com mobiliário, iluminação e sinalização. A população poderá desfrutar do espaço durante o evento “Ativação Capunga” nesta sexta-feira (21/10), das 19h às 22h, e sábado (22/10), das 9h às 22h. O acesso ao local é feito pela Rua Doutor Osvaldo Lima, Derby – Recife (PE). Será o momento de celebrar a transformação do espaço público, uma oportunidade de contemplar a bela paisagem do rio Capibaribe e da vegetação nativa e ainda realizar atividades de lazer, esportivas e culturais. Já estão confirmadas apresentações do Coco da Resistência e Duo Mundo Negro na sexta-feira (22/10). Uma praça de alimentação – Beira de Sabores – com foodtrucks, trailers e comércio ambulante de alimentos foi montada em frente ao edifício garagem da UNINASSAU.

O convite é para que os cidadãos ativem as margens do rio Capibaribe com sua atividade favorita como, por exemplo, piquenique, jogos e brincadeiras ao ar livre. Artistas, grupos culturais e demais interessados podem integrar a programação. Para isso é necessário preencher o formulário http://bit.ly/AtivacaoCapunga para que as atividades possam ser divulgadas no evento no facebook. A iniciativa é realizada pelo INCITI, grupo da Universidade Federal de Pernambuco dedicado à pesquisa e inovação para as cidades, em parceria com a UNINASSAU, com apoio da Prefeitura do Recife, Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU/PE), Consulado Geral de França em Recife, Aliança Francesa e o Coletivo dos Vendedores de comida sobre rodas da Capunga.

O Workshop Internacional de Prototipagem Urbana integra as ações do projeto Parque Capibaribe, desenvolvido pelo INCITI/UFPE, por meio de parceria com a Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife. Esta iniciativa objetiva a recuperação ambiental dos 30 km de margens do Rio Capibaribe, associada a um plano de urbanização e melhoria da qualidade dos espaços públicos existentes, além da implantação de novos ambientes. O projeto se articula em função de cinco estratégias de intervenções que se traduzem na necessidade de chegar, percorrer, atravessar, abraçar e ativar a ocupação consciente nas margens do Rio Capibaribe.

debate

Debate
– No sábado (22/10), às 17h, haverá debate sobre a transformação do território, o público poderá fazer perguntas e compreender o processo de idealização e prototipagem urbana desenvolvido. A conversa contará com representantes do INCITI, Parque Capibaribe, Prefeitura do Recife, UNINASSAU, moradores e comerciantes da região e estudantes.Desde o dia 10 de outubro, estão sendo criados protótipos de iluminação, sinalização e mobiliário urbano. O workshop tem sido ministrado por renomados urbanistas, designers e coletivos do Brasil e estrangeiros: Da Sein (França), Dominik Vögele (Suíça), Piseagrama e Micropolis (Belo Horizonte), A Cidade Precisa de Você (São Paulo), Cajueiro (João Pessoa), L.O.U.Co / Porto Digital, AtelierVivo, Diego Bís, FabLab e O Norte – Oficina de Criação (Recife), Coletivo Madeira (Olinda).Serviço:

Ativação Capunga
Quando: Sexta-feira (21 de outubro), das 19h às 22h, e sábado (22 de outubro), das 9h às 22h.
Acesso: Rua Doutor Osvaldo Lima, Derby – Recife (PE) – próximo ao edifício garagem e Bloco E da UNINASSAU
Acesso gratuito
comment 0

Capunga ganha mobiliário, sinalização e iluminação para ativar margens do Rio Capibaribe

Muita força de vontade, criatividade e colaboração são os ingredientes para a transformação de área nas margens do Capibaribe, no bairro do Derby. Durante o Workshop Internacional de Prototipagem Urbana, realizado desde o dia 10 de outubro, estão sendo criados protótipos de iluminação, sinalização e mobiliário urbano. O objetivo é transformar o território para que possa ser um ambiente de convivência, lazer, sensibilização ambiental e contemplação da paisagem. A iniciativa é promovida pela UNINASSAU e pelo INCITI/UFPE, com apoio da Prefeitura do Recife, Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco (CAU/PE), Consulado Geral de França em Recife, Aliança Francesa e o Coletivo dos Vendedores de comida sobre rodas da Capunga. Confira abaixo o que está sendo criado e você poderá conhecer de perto e experimentar nesta sexta-feira (21/10), a partir das 18h, e sábado (22/10), das 9h às 22h, durante a Ativação Capunga, uma celebração pela transformação do espaço público. O acesso ao local é feito pela Rua Doutor Osvaldo Lima, Derby – Recife (PE). Convide a família e os amigos pelo evento no facebook.

Estão envolvidos no workshop cerca de duzentas pessoas entre participantes aprendizes, comerciantes, facilitadores, pesquisadores e equipes do INCITI e UNINASSAU, que utilizaram infraestrutura e maquinário dos parceiros FabLab, O Norte – Oficina de Criação e L.O.U.Co/ Porto Digital. O workshop tem sido realizado com a orientação de experientes urbanistas, designers e coletivos do Brasil e estrangeiros: Da Sein (França), Dominik Vögele (Suíça), Piseagrama e Micropolis (Belo Horizonte), A Cidade Precisa de Você (São Paulo), Cajueiro (João Pessoa), L.O.U.Co/Porto Digital, AtelierVivo, Diego Bís, FabLab e O Norte – Oficina de Criação (Recife), Coletivo Madeira (Olinda).

Confira o que o que foi construído:
Bancos com jardineiras: Bancos de pallets com jardineiras integradas feitas com cubas de inox para pias. São posicionadas na Rua Dr. Osvaldo Lima que dá acesso à margem do rio.
Beira de Sabores: Uma praça de alimentação com bancos composta por várias formas de mobiliário urbano feito de palets e de madeira pinus. A infraestrutura de sombra e a iluminação foi integrada com tecidos e ligações entre os mobiliários. A Beira de Sabores conta com foodtrucks, trailers e vendedores ambulantes de alimentos, que antes ocupavam a Rua Dr. Osvaldo Lima.
Boca de Jacaré: Um barracão de obra já existente no local foi transformado, paredes foram retiradas, foi instalada uma pérgola e feita uma pintura. O local terá uso versátil podendo servir de espaço para shows e pequenas apresentações artísticas ou apenas para encontros e bate-papo nas margens do rio. Em frente, uma arquibancada de pedra foi construída na beira do rio, possibilitando que as pessoas possam sentar próximas ao mangue e contemplar a paisagem.
Baranguejo: Um balcão de bar foi construído para permitir aos vendedores ambulantes se instalar no ambiente com mais comodidade. O mobiliário foi feito com tronco de eucaliptus e placas de madeira pinus. Os comerciantes de bebidas que antes ficavam na Praça João Pereira Borges se deslocam para área em frente ao rio. Gambiarras de luzes foram instaladas no local.
Caminho da Capivara: área na margem do rio, frequentada por famílias de capivaras, ganhou esculturas elevadas com estruturas de ferro e madeira, que dão suporte a iluminação. Estruturas de concreto foram colocadas no chão evitando o estacionamento de carros.

Dragão de 2 Cabeças ou Monstrinho: Brinquedo para as crianças construído com troncos de eucaliptos e tubos de concreto.

Refúgio da Capunga: ambiente para brincadeiras de crianças e bancos com pneus de carros que possibilitam descanso e contemplação do rio.

Faro: É a entrada do Parque. Trecho da Rua Guilherme Pinto, em frente ao Bloco C da Uninassau e à Praça João Pereira Borges, foi interditada para a passagem de carros. O asfalto foi pintado transformando em mini-campo de futebol e área para jogos e brincadeiras.
comment 0

INCITI abre chamada para ocupação colaborativa das margens do Capibaribe

A UNINASSAU e o INCITI/UFPE convidam para a “Ativação Capunga”, ocupação que celebrará o encerramento do Workshop Internacional de Prototipagem Urbana (WIPU). O encontro colaborativo irá acontecer nesta sexta-feira (22/10), das 19h às 22h, e sábado (23/10), das 9h às 22h. O acesso é feito pela Rua Doutor Osvaldo Lima, Derby – Recife (PE).

A autonomia é sua! Ative as margens do rio Capibaribe com alguma atividade favorita preenchendo este formulário. O espaço também estará disponível pra quem quiser apenas experimentar os mobiliários construídos nas duas semanas de workshop.

Vivencie o Recife como Cidade-Parque!

Outras informações: ativacaocapunga@gmail.com

++

O Workshop Internacional de Prototipagem Urbana integra as ações do projeto Parque Capibaribe, desenvolvido pelo INCITI/UFPE, por meio de parceria com a Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife. Esta iniciativa objetiva a recuperação ambiental dos 30 km de margens do Rio Capibaribe, associada a um plano de urbanização e melhoria da qualidade dos espaços públicos existentes, além da implantação de novos ambientes. O projeto se articula em função de cinco estratégias de intervenções que se traduzem na necessidade de chegar, percorrer, atravessar, abraçar e ativar a ocupação consciente nas margens do Rio Capibaribe.

Serviço:

Ativação Capunga
Quando: 22 de outubro (19h-22h) e 23 de outubro (9h-22h)
Onde: Rua Doutor Osvaldo Lima, Derby – Recife (PE) – Edf. garagem da UNINASSAU
Quanto: O espaço é seu e a entrada é franca!

comment 0

Divulgada a relação dos selecionados para a segunda semana do WIPU

O INCITI/UFPE e a UNINASSAU divulgam a relação dos selecionados para a segunda semana de Workshop Internacional de Prototipagem Urbana, que vai acontecer de 17 a 21 de outubro, no Derby. Assim como na primeira semana de atividades, o workshop seguirá com as modalidades de Sinalização, Iluminação e Mobiliário Urbano.

INICIATIVA – As atividades são promovidas pela UNINASSAU e pelo INCITI/UFPE, com apoio da Prefeitura do Recife, do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-PE), Consulado da França e Aliança Francesa e parcerias do FabLab e O Norte – Oficina de Criação. O workshop acontecerá com turmas em dois períodos de 10 a 14 e de 17 a 21 de outubro, ao ar livre, no bairro do Derby. Durante os laboratórios, serão compartilhados conhecimentos sobre arquitetura e urbanismo, artes visuais, iluminação, culinária, design, marcenaria, objeto urbano conectado e sinalização para criação colaborativa de protótipos. Todos os dias são finalizados por uma sessão de reflexão de aprendizagem.

Para mais informações: ativacaocapunga@gmail.com

Confira abaixo a lista dos selecionados para a primeira semana de atividades:

Iluminação:

Cyntia Saraiva

Clara Angélica dos Santos

Inês Domingues Maia e Silva

Karoline Lima do Nascimento

Renata Assunção Neves

Rafael Mazza

Rayane Alves de Lima

Raissa Gomes de Sales

Beatriz Didier

Barbara Rodrigues de moura

Tamara silva de paula

Mário César Rodrigues

Sabrina de Oliveira

Bruna Iracema Machado de Lima

Eduardo Jorge Tenório Cavalcante Filho

Sinalização

Pedro Ernesto Chaves Barbosa

Mariana Valcacio Araújo Pereira

Maria Carolina Arruda

Adrianne Gabriele Silva Aroeira

Larissa Fonseca da Cunha

Tássia Camila Cordeiro de Barros Duarte

Hugo Chaves Jucá

Beatriz de Araújo Lima

Jeronymo Virgínia Carrazzone

Mobiliário Urbano

Gabriela Ozório de Andrade

Isabela Barboza Alves e Silva

Francielly de Lima Mélo

Renata Neves

David Silva de Vasconcelos

Jônatas Souza Medeiros da Silva

Letícia Rocha de Santana

José Anderson Ferreira de Souza

Elzilane Carvalho

Onildo Cruz e Silva Filho

Patrícia Pedrosa Alves Braga

Gabriel Batista Tourneur

Raianne Guedes Jovem

Elizabeth Almeida dos Santos

José Ricardo Heliodoro do Nascimento

Carolina Drahomiro Gomes

Isabela Duarte Dutra

Raiane Ayla Guimarães Silva

Silvia Bloise Gonçalves Mendonça

Liliane Caroline Pedrosa Barros

Bruna Ribeiro Corrêa

Marina Serrano Barbosa Mergulhão

Maria Antonia Saldanha Pessoa de Queiroz

Arnaldo Alves Lins Júnior

Hugo Lapenda

Alice Lancellotti

Ana Júlia Ribeiro de Macedo

Elzilane Carvalho