comentários 0

Obras do Parque Capibaribe são iniciadas com o Jardim do Baobá

Baobá, espécie Adansonia digitata L, de origem africana, é o marco inicial do Parque Capibaribe. Crédito: Andréa Rêgo Barros/PCR

O Parque Capibaribe está com sua primeira obra lançada. O trecho chamado “Jardim do Baobá” teve a ordem de serviço para as obras assinada pelo prefeito do Recife, Geraldo Julio, e pela secretária de Sustentabilidade e Meio Ambiente, Cida Pedrosa, na tarde desta quinta-feira (31/03). A área é localizada entre as ruas Madre Loyola e Antônio Celso Uchôa Cavalcanti, no bairro das Graças, já no limite com o bairro da Jaqueira.  Com um pequeno evento no local, os presentes puderam conhecer um pouco do projeto desenvolvido pelo INCITI – Pesquisa e Inovação para as Cidades, da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em parceria com a gestão municipal.

A área recebeu uma pequena intervenção de prototipagem, com piso verde e bancos de madeira, já incentivando a contemplação da paisagem do enorme baobá que se debruça na margem do rio. Com 3.800 m², o trecho será um espaço de lazer, com balanços, mesa comunitária, bancos, terraços gramados, passeios e ciclovia. O projeto  inclui ainda a pavimentação da Rua Madre Loyola. Painéis foram fixados apresentando imagens em 3D do projeto, que representa um investimento de R$ 1,5 milhão. Os recursos são oriundos de parceria entre a Prefeitura do Recife e o Real Hospital Português. O prazo para conclusão das obras é de cinco meses. Veja mais detalhes do projeto AQUI.

Circe Monteiro e Luiz Vieira mostram painéis do projeto Jardim do Baobá ao Prefeito Geraldo Júlio. Crédito da foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

Na ocasião, a coordenadora do INCITI/UFPE, Circe Monteiro, declarou: “Esse é o ponto inicial do Parque Capibaribe. Nós, da equipe que desenvolvemos o projeto, aprendemos muito com este pequeno espaço. O Jardim do Baobá é um projeto singelo, pois esse miolo da cidade tem uma incrível qualidade ambiental e o Parque Capibaribe vem para honrar a natureza, o rio.”

O prefeito Geraldo Julio lembrou a reconquista do espaço público, que chegou a ter um muro que escondia o baobá e fechava o acesso à área, e após a intervenção jurídica da gestão para recuo do muro, passou a ser ocupado como estacionamento de automóveis. “Esse espaço não é para colocar carro, é um espaço de contemplação da natureza. Muita gente vai vir a pé e de bicicleta. O Jardim do Baobá vai transformar o olhar das pessoas sobre a nossa cidade”, disse.

A secretária de Meio Ambiente e Sustentabilidade, Cida Pedrosa, relembrou a sua alegria quando soube que o projeto do Parque Capibaribe faria parte da sua pasta na Prefeitura. “Estou absolutamente feliz, pois estamos iniciando a mudança para o Recife 500 Anos e esse rio é o ícone da minha emoção no Recife”, falou, para em seguida declamar uma poesia de Jorge Filó sobre o Jardim do Baobá.

Arquitetos, pesquisadores, ambientalistas, gestores públicos e moradores das Graças celebram o início da implementação do Parque Capibaribe. Crédito da foto: Andréa Rêgo Barros/PCR

O vice-provedor do Real Hospital Português, Alberto Ferreira Costa Junior, também falou sobre a importância do Parque Capibaribe para melhorar o ambiente do Recife. “Esse projeto vai mudar bastante a vida das pessoas na cidade. Por isso, é uma enorme satisfação que o Real Hospital Português participe deste projeto”, afirmou.

A escritora e militante do movimento negro, Inaldete Pinheiro, esteve presente no evento para lembrar da relação entre a espécie baobá e a ancestralidade africana. Após relatar suas memória do local, afirmou: “Vocês não medem a satisfação que está o meu coração. É a história ancestral que está aqui neste baobá. Axé”.

Entre as diversas presenças importantes para o Parque Capibaribe, o evento contou com o presidente do Instituto Recife de Gestão,  Francisco Cunha; o presidente do Instituto Pelópidas Silveira, João Domingos Azevedo; o vereador Wanderson Ferreira; e o cultivador de baobás, Gilberto Vasconcelos.

Leave a Reply