comentários 0

Parque Capibaribe é apresentado no COP 21 Paris

O Parque Capibaribe participa da COP-21, Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas – ONU. O projeto é o resultado de um convênio entre a Prefeitura da Cidade do Recife (PCR), através da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (SEMAS) e a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), através do INCITI – Pesquisa e Inovação para as Cidades.

Projeto para a área do Baobá próximo à Ponte D’Uchoa Crédito: Parque Capibaribe/INCITI

O Parque Capibaribe foi selecionado pela rede ICLEI – Local Governments for Sustainability (Governos Locais pela Sustentabilidade) e está sendo apresentado no Pavilhão de Cidades e Regiões a investidores estrangeiros. A ICLEI é uma rede mundial com mais de mil cidades e metrópoles empenhadas na construção de um futuro sustentável.

O objetivo da apresentação em Paris é mostrar como o projeto Parque Capibaribe vai mitigar efeitos das mudanças climáticas, já que compreende a implantação de um corredor de 30 km para ciclistas e pedestres e plantio de 22 mil árvores nas margens do Rio Capibaribe. Mais do que isso, o Parque promove a reconexão da cidade com os espaços verdes e públicos através do rio Capibaribe. É importante lembrar que Recife é a 16ª cidade do mundo mais vulnerável às mudança climáticas, segundo o IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, da ONU).

O Parque Capibaribe apresenta um novo conceito de desenho urbano, composto por passeios, ciclovias, passarelas, pontes de pedestre, áreas verdes e de lazer, influenciando a vida de 35 bairros e atingindo 400 mil habitantes. Ao transformar o Recife em uma Cidade-Parque, o projeto irá elevar a taxa de área verde pública para 115 mil m² em 2037, o equivalente a 11 campos de futebol. Com a ampliação da área verde e o estímulo a mudança do uso de transporte motorizado para a bicicleta, a estimativa é reduzir a emissão de mais de 144 mil toneladas de gás carbônico.

Quem apresenta o projeto Parque Capibaribe em Paris é uma equipe da Prefeitura do Recife, formada pela secretária municipal de Meio Ambiente, Cida Pedrosa, pelo secretário executivo de Sustentabilidade do Recife, Maurício Guerra. A prefeitura municipal também apresenta o Mapeamento de Áreas Críticas do Recife, desenvolvido pela Secretaria de Saneamento, que irá resultar em um censo completo de 50 mil famílias residentes em 480 áreas de interesse social, distribuídas em 2.573 microrregiões, totalizando 4.460 hectares do território municipal.

Leave a Reply